Salário Mínimo Profissional é central na gestão do Crea-PR

Foz do Iguaçu, 30 de agosto de 2016

Na tarde de ontem, o presidente do Crea anfitrião da 73ª Soea, Joel Krüger, defendeu o cumprimento da legislação referente ao Salário Mínimo Profissional. “A fiscalização a respeito do salário mínimo é um dos pontos centrais na gestão do Crea-PR. Entendo ser necessário garantir o cumprimento em todo o país para fortalecermos a Engenharia e a Agronomia no Brasil”, defendeu.

Em 2016, a Lei nº 4.950-A/66, que criou o salário mínimo profissional para trabalhadores regidos pela Consolidação das Leis do Trabalho (CLT), completa 50 anos. A sanção assegurou um salário mínimo proporcional à jornada de trabalho e à duração do curso de graduação, incluindo nesse contexto engenheiros e agrônomos. Para marcar a data, a Federação Interestadual de Sindicatos de Engenheiros (Fisenge) lançou ontem uma cartilha sobre as cinco décadas da legislação.

De acordo com o presidente da Fisenge, Clovis Nascimento, a lei é fundamental para valorizar os profissionais da Engenharia e da Agronomia, mas precisa de manutenção. “Nosso objetivo é que a legislação seja mantida e, além disso, ampliada ao setor estatutário. Então, a luta continua para conseguirmos abranger os engenheiros que ainda não estão enquadrados”, ressaltou.

Na ocasião, também foi lançado o vídeo de animação do projeto Engenheira Eugênia, criado em 2013 a partir de histórias em quadrinhos que discutem pautas atuais. “A personagem traz reflexões e discute medidas para buscarmos a igualdade de gêneros”, afirmou a diretora da Mulher da Fisenge, Simone Baía.

Galera Titon
Equipe de Comunicação da 73ª Soea

Compartilhar