Inovação tecnológica como solução para crise na Agronomia

Foz do Iguaçu, 30 de agosto de 2016.
Graziano, que é ex-deputado e mestre em Economia Agrária, apresentou um panorama da produção agrária no país e a importância da inovação e do desenvolvimento tecnológico para superar as dificuldades e os momentos de crise. Graziano ainda citou a previsão feita por pesquisadores do Clube de Roma e do Massachusetts Institute of Technology (MIT), em 1972, relacionadas ao meio ambiente e aos recursos naturais, que apontavam para um colapso da civilização e que não se concretizou. “As respostas à crise estão nos avanços tecnológicos. Nosso desafio é levar tecnologia a todos os produtores do país. ”

Segundo ele, das 5,2 milhões de propriedades rurais, 4,4 milhões participam da economia e produzem renda para o país. Destas, 500 mil (11,4%) são responsáveis por 87% da produção e 3,9 milhões (88,6%) são responsáveis por apenas 13% da produção. Nesta última faixa, estão 2,9 milhões de propriedades que produzem apenas 3,3% e praticamente não participam do ciclo virtuoso da tecnologia.
Para o palestrante, além da assistência técnica e extensão rural, do crédito e seguro rural, do cooperativismo, é necessário investir e apostar no empreendedorismo, na educação tecnológica e na emancipação política dos produtores. “Não podemos depender dos governos, pois não vamos superar a crise apenas com benefícios públicos do Estado”, finalizou Graziano.

Veja as fotos no Facebook do Confea

Equipe de Comunicação do Confea

Compartilhar